Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...


01.05.18

O fogo, sem ti, não é fogo.


É cansaço que se apodera dos braços,


É flor que morre na tua mão,


É avenida deserta, nesta cidade, sem pão.


O fogo, dos beijos baços,


É jardim de árvores caquécticas,


Adormecidas,


Tortas.


O fogo, sem ti, não é fogo.


É noite mal dormida,


Sorriso na parada do sofrimento,


De olhar distante,


É sirene da alvorada,


Muro em xisto,


Que atormenta minha amada…


Ai, meu amor, o fogo, sem ti…


Atormenta tanta gente.


O fogo, sem ti, meu amor,


É a luz das esplanadas de Verão,


São ruas,


Casas…


São barcos encostados ao portão,


Quando o meu quintal dança nos teus lábios de algodão,


O fogo, sem ti, meu amor,


Não é nada, nem pão, nem pedras poisadas no coração.


Amanhã, se o fogo, sem ti, não for fogo,


A minha vida é um pequeno conto,


Palavras…


Palavras, meu amor, sem ti!


 


 


 


Francisco Luís Fontinha


Alijó, 1 de Maio de 2018


12.08.17

Palavras!


Enigmas suspensos na madrugada,


O farol avariado, os barcos cerram os olhos, e escondem-se na neblina,


Palavras a arder,


Palavras escritas no fogo da paixão,


Quando a saudade morre devagarinho…


Os poemas despem-se das palavras,


Os livros adormecem sem os poemas,


E o papel amarrotado da tua pele… sedução encantada,


Palavras!


Tristes versos abraçados a tristes noites de Verão,


Sentidos pêsames, a partida para o outro lado do Universo,


E as estrelas amarguradas em fuga para o Infinito,


Verbo,


Os latidos desorganizados dos teus gemidos… quando o rio se suicida nos rochedos,


Em transe,


A ausência delas quando eu sentado espero pela alegria,


Ressequida,


Mortas todas,


As pedras que te atiro…


 


 


Francisco Luís Fontinha


Alijó, 12 de Agosto de 2017


22.06.17

Canso-me das tuas palavras, meu amor,


Canso-me do teu sorriso… quando sou alicerçado aos rochedos e na minha vida não existem sorrisos,


Canso-me do teu olhar, meu amor… quando regressa a noite e odeio um simples olhar,


Canso-me da riqueza e da beleza das coisas… mesmo as mais belas,


Canso-me da tua sombra quando o orvalho rompe pela manhã e nas tuas mãos trazes o lenço da saudade,


Canso-me de mim, meu amor,


Canso-me dos meus poemas, meu amor… quando os meus poemas são apenas palavras desconexas e perdidas no vento,


Canso-me do silêncio, meu amor… quando amo a trovoada e a chuva de Verão,


Canso-me dos rios e dos montes,


Canso-me do mar e da infância…


Canso-me tanto, meu amor…


Canso-me tanto, meu amor.


 


 


Francisco Luís Fontinha


Alijó, 22 de Junho de 2017


29.07.11

O chefe da estação


Bêbado da alvorada


De bandeira na mão


Cambaleando na calçada,


 


Os carris entram-lhe nos olhos minguados


E do rio as algas suspensas nos braços


O pinhão em socalcos encalhados


Dos vinhedos em cansaços,


 


O chefe da estação


No desespero de comboios engasgados


E o pôr-do-sol deita-se-lhe na mão,


 


O rio engole o chefe da estação


Em silêncios de dias amargurados


No silêncio do verão…

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub