Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...


16.05.23

Fascina-me o xisto,

Minha querida,

Não sei…, mas… muitas lâminas…

Em cada lâmina, está uma carta escondida,

E sabes, minha querida,

Dentro de cada carta está uma morada,

E nessa morada,

Talvez esteja Deus…

 

Fascina-me o xisto,

E todos tivemos um Tablet (lousa) topo de gama…

Só na Casa Grifo,

Bom e barato.

 

Não, minha querida,

Não gosto do xisto apenas pela paisagem do nosso Douro…

Não,

Começo a ficar cansado de olhar tantos socalcos.

Como de tudo, minha querida…

Começo a ficar cansado…

Mas o xisto,

O xisto fascina-me…

Claro está, minha querida,

Claro está que o xisto nunca será jóia de adorno de uma mulher,

Porque é feia…

(a jóia construída em xisto, não a mulher)

Só se esta jóia servir apenas para a mulher atirar à cabeça do filho da puta que a espanca…

E aí, a jóia construída de xisto…

Seria a jóia mis linda do Universo…

Mas Deus não quer

E leva os bons e deixa os filhos da puta…

Tanto filho da puta.

 

Por aí,

Andando à caça de algo extraordinário…

(dizem que esta zona é boa em caça)

Algo de extraordinário, minha querida…

Tipo…

Tipo uma vaca com três cabeças e que dorme todas as noites sobre o Plátano de Alijó?

Que escândalo, meu querido…

Porque a vaca tem três cabeças?

Porque a vaca com três cabeças dorme todas as noites sobre o Plátano de Alijó…?

Não meu querido…

Aumentou novamente a gasolina.

 

Fascina-me o xisto,

Minha querida,

Não sei…, mas… muitas lâminas…

Em cada lâmina, está uma carta escondida,

E sabes, minha querida,

Dentro de cada carta está uma morada,

E nessa morada,

Talvez esteja Deus…

E se não estiver…

Espera que ele apareça.

 

 

 

 

Alijó, 16/05/2023

Francisco Luís Fontinha


07.12.22

Sabes

Meu amor

Um dia morrerá a árvore grande

O nosso centenário plátano

Em seu lugar

Um dia

Será plantado um call center

Provavelmente

Para venderem garrafas de vinho

Ou bilhetes de cruzeiro

 

Tínhamos a fogueira de Natal

Não vamos ter fogueira de Natal

 

Um dia

Meu amor

A nossa terra

A nossa querida terra

 

Será apenas um couto de caça.

 

 

Alijó, 07/12/2022

Francisco Luís Fontinha

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub