Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...


20.11.22

Sou o comandante deste pobre navio.

Um objecto de sucata,

Toneladas de aço,

Multidões que se escondem em corpos,

Multidões com muitos braços,

Com muitas pernas,

Com pénis e vaginas,

Olhos e lábios e sorrisos e pequenos luares,

Mares,

Canções e canetas,

 

Pedras,

Pedras em silêncio,

E silêncios em pedras,

Que morrem,

Que nascem,

Que fodem,

Que me fodem

Todos os dias,

Entre segundos e minutos,

A todas as horas que o dia esconde,

 

E se me perguntarem o que me esconde o dia,

Diria…

Nada,

 

Como nada são as palavras que escrevo,

Durante o dia,

Da noite e à noite,

Nada,

Como nada me escondo do nada,

Sabendo que entre o nada e o medo,

 

Prefiro o medo.

E este navio é impaciente,

Um pouco louca até,

Sucata,

Com um coração de lata,

Com telhado zincado, minha pobre cubata.

 

E eu o pobre comandante,

O gajo que puxa o cordel onde habitam os meus cacilheiros

Com marinheiros com putas com flores com shots de uísque aldrabado,

Depois sentava-me em Belém,

Escrevendo palavras também elas aldrabadas,

Digamos que sou um charlatão das palavras,

Um vigarista da poesia,

E mesmo assim, não sabendo nada, sei que há mulheres que gostam do que escrevo,

 

Coitadas delas,

Coitado de mim,

Nem elas,

Nem eu,

Somos um jardim,

 

E à frente deste navio,

Eu, o comandante sem diploma de comandante,

Eu, o poeta, sem diploma de poeta,

Eu, o velho cacilheiro sem rio para brincar.

 

E este navio vai andando,

Com a graça de Deus,

Umas vezes afunda,

Outras,

Faz-se passear na lua,

 

E tal como as minhas palavras,

Sem futuro,

Das palavras à morte,

O diabo que o parta e escolha,

Esta sorte,

Ser comandante de um navio sem nome; um navio sem sorte.

 

 

 

 

 

Alijó, 20/11/2022

Francisco Luís Fontinha

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub