Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...


21.11.23

O fogo, os teus olhos ardem,

Os teus olhos de mar ardem na lareira do silêncio, os teus olhos de mar, fogem desta lareira desassossegada, o fogo, as árvores mergulham na planície dos teus lábios, e morrem as acácias.

O fogo dos teus olhos, a canção que oiço quando acorda a manhã, abraço-me e finjo ser um pedacinho de nada.

 

O fogo, os teus olhos ardem, as tuas mãos poisam no meu rosto e sinto o regresso da Primavera, e sinto o perfume das flores, e sinto a alegria dos pássaros,

Selvagem destino, mísero poema que escrevo, o fogo

Dos teus olhos quando a lua brinca sobre o mar, quando a lua se veste de mar, e os teus olhos ardem,

Ardem na simplicidade do dia.

 

Dos teus olhos, madrugada da minha insónia, o fogo dos teus olhos, em fuga, em direcção aos meus olhos,

Que também eles, ardem juntamente com os teus,

Ardem nesta lareira sem nome,

Nesta lareira envergonhada.

 

 

21/11/2023

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub