Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...


14.09.22

(á minha mãe)

 

 

Quando regressa a tristeza,

Invento o sono sonâmbulo da madrugada,

Estendo a mão para o rio,

Ergo-me sobre a montanha,

Quando regressa a tristeza,

Desenho-te na vidraça da minha triste janela…

Como se fosses um pequenino pássaro

Em busca de liberdade,

 

Como se fosses a saudade

Da tristeza anunciada,

E caminho por esta estrada,

Só, muito só…

Como se fosses o sol

Das tardes de Verão,

Quando regressa a tristeza,

Invento lágrimas de luar,

 

Como se fosses uma árvore na alvorada

Com estrelas em silêncio

Em sombreado desenhar.

Quando regressa a tristeza,

Escrevo-te nesta pequena folha quadriculada…

Como se fosses uma complexa equação

Numa pedra sentada…

Sem perceberes que a matemática é paixão,

 

É beleza.

Quando regressa a tristeza,

Abraço-me, escondo-me neste quarto escuro,

Como se eu fosse a tua sombra…

Como se eu fosse a tua própria tristeza.

E quando regressa a tristeza,

Puxo de um cigarro…

À espera que a tristeza morra.

 

 

Alijó, 14/09/2022

Francisco Luís Fontinha

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub