Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...

Cachimbo de Água

Blog de Francisco Luís Fontinha; poeta, escritor, pintor...


29.10.23

Poetiza-me com os teus lábios nos meus lábios

Mulher do meu sonhar

Palavra que a manhã lança ao mar,

Poetiza-me com as tuas mãos

Acariciando o meu rosto poético,

Poetiza-me menina das madrugadas

Quando desenho o beijo no teu ombro

E perco-me no teu pescoço,

Como um menino mimado,

Como um menino de ti,

 

Poetiza-me com toda a tua força,

Com todo o teu saber,

Poetiza-me com as palavras que te escrevo,

Com as palavras que semeio no teu seio,

Poetiza-me com os teus lábios nos meus lábios,

Com a tua boca na minha boca,

 

Poetiza-me todos os dias,

A todas as horas,

Em todas as noites,

Quando te abraço,

Quando me perco em ti,

Quando me perco neste salgado mar de inocência,

Poetiza-me nesta canção de Outono,

Com folhas lapidadas,

Das árvores,

E dos pássaros…

 

Poetiza-me com os teus lábios nos meus lábios

Mulher do meu sonhar

Palavra que a manhã lança ao mar,

Poetiza-me com as tuas mãos

Acariciando o meu rosto poético,

 

Poetiza-me com o teu cabelo poisado no meu peito,

Poetiza-me na insónia da noite,

Da insónia em desejo,

De pegar na tua mão…

E morrer,

Poetizado pelos teus lábios de mel.

 

 

 

29/10/2023

...


28.10.23

Os EUA criaram o Bin Laden. Israel criou o Hamas. E nós, actualmente, estamos a criar um Zelensky…, esperamos que no futuro não nos venha a dar problemas.


28.10.23

Oiço a voz do silêncio

Que me traz a madrugada

Disfarçada de noite

Em noite ensonada

De nada

Amanhã um beijo nos teus lábios

Depois

Oiço a voz do meu relógio

Que me diz

Que me grita;

Amanhã são horas de sonhar.

 

Oiço a voz do silêncio

Dos teus lábios em palavras que recebo

Permitindo-me afoitar esta lareira

Nos intervalos de minha infame-glória

Viver acorrentado às primeiras lágrimas da manhã…

 

E dormir nos teus braços.

Azáfama das tuas mãos no meu rosto dorido

Às vezes triste

Às vezes sofrido

Quando oiço pela manhã

Quando recebo a noite…

A voz do silêncio,

 

Oiço a voz do silêncio

Que me traz a madrugada

Disfarçada de noite

Em noite ensonada

De nada,

Esta velha jangada

Em pedra lapidada

Durante a noite

Quando os nossos corpos se fundem

E formam a mais ínfima partícula do desejo

Da voz do silêncio

No silêncio de viver.

 

 

28/10/2023


28.10.23

Este mundo onde habito

E não me apetece habitar

Neste mundo onde caminho

E não me apetece caminhar,

Tão pouco, ver o mar.

 

Este mundo desalinhado

Podre e triste,

Frio e escuro,

Este maldito mundo apedrejado…

Deste mundo nunca visto,

 

Neste mundo desejado.

Este mundo onde habito

E não me apetece habitar,

Onde crianças morrem,

E os adultos…, e os adultos são proibidos de sonhar.

 

 

 

28/10/2023


28.10.23

Encosta o teu olhar

Ao meu olhar,

Abraça-me, abraça-me clandestinamente

Como se eu fosse um foragido,

Um condenado por um qualquer pequeno delito,

Enquanto me sacio com esta lareira,

Que me ilumina, que nos ilumina…

Quando mais logo, quando mais logo regressar a noite…

E a noite nos beija,

Nos beija sibilinamente,

 

Abraça-me, encosta o teu olhar

Ao meu olhar,

Abraça-me clandestinamente,

Enquanto todos os pássaros dormem,

E a noite se veste de poema.

Abraça-me e encosta o teu olhar

Ao meu olhar,

Abraça-me enquanto a lua poisa nos teus seios…

E o luar,

E o luar escreve em ti… amo-te,

Dos teus olhos de mar,

Como eu,

Clandestinamente.

 

 

28/10/2023


28.10.23

Desenho o fatídico beijo nos teus lábios de mel

Dos teus lábios poéticos

Do dia que não quer acordar

E no meu peito

Sinto os teus olhos de mar,

 

Desenho o beijo

Em teus lábios de mel

Manhã sonolenta

Manhã quase perfeita

Nas tuas doces mãos de seda,

 

Nas tuas doces mão de feiticeira

Quando desenho o beijo

Transparente

Leve como um pequeno suspiro

Quando inventas um sorriso,

 

Desenho o beijo

O fatídico beijo

Em teus lábios de mel

Nos teus lábios em desejo

Por palavras,

 

Sombras nos teus lábios

Beijo envenenado que desenho

Em teus lábios de mel

Em teus lábios de purpura insónia…

Quando a insónia é uma caverna de prazer.

 

 

28/10/2023

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub